EU PREFIRO SER ESSA METAMORFOSE AMBULANTE

Será que a mudança é necessária?

Como dizia Raul Seixas: “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.”

Essa tem sido uma das minhas músicas favoritas na atualidade.

No decorrer de nossas vidas, somos induzidos a inúmeras opiniões, dogmas e crenças.  E as vezes nem sabemos o real significado daquilo tudo.

Toda educação é implantada em nossos cérebros e se você odeia matemática ou odeia geografia, esquece. A média 6 ou 7 tem que estar ali todo fim de bimestre.

A criatividade e outros gostos nem sempre são trabalhados em nossas infâncias, e quando crescemos notamos essa incrível defasagem de informações que gostaríamos de ter.

Os anos vão passando e você entende que aquela velha opinião talvez não faça mais sentido em sua vida, que as coisas precisam ser modificadas a todo instante e que novas opiniões se formarão dentro de você.

A mudança chega para todos, mas cabe a nós nos abrirmos e sermos receptivos a ela. Se questionar mais, questionar as coisas ao seu redor, entender que você pode ser um gênio produzindo sua arte.

Entender que os gênios são formados é um dos primeiros passos para a mudança. 

Quando mais jovens, achamos que os grandes seres da terra, os que deixam suas marcas como gênios, nasceram com um privilégio diferenciado.

Mas depois de um tempo eu entendi que não é bem assim, que em 99% das vezes, o que te faz ser um gênio ou não, é a sua persistência em absorver todo o aprendizado que precisa.

É ser rejeitado, vaiado, desprezado e fracassar várias e várias vezes. É entender que o ápice da sua arte e genuinidade depende exclusivamente de seus esforços e não de um milagre enquanto sua vida passa.

É acordar todos os dias disposto a mudar, a questionar e se abrir a novas experiências.

É entender que “aprender nunca esgota a mente.” – Leonardo da Vinci

Confesso que demorei alguns anos pra perceber que a completa mudança interna era necessária. Nós olhamos pro lado e vemos pessoas estagnadas, paradas e consumindo coisas superficiais.

Aquilo se prende ao cérebro e por muito tempo você pensa ser isso mesmo, que tá “tudo bem” ser mediano. Que a excelência é privilégio dos super dotados e gênios.

Mas eu preciso dizer que se você ainda tem esse pensamento, talvez seja a hora de se questionar. Talvez seja a hora de buscar outros ângulos, colocar as coisas de cabeça pra baixo e sacudir.

“Será que a vida que eu vivo hoje é realmente a que quero?”

“Será que eu estou vivendo minha arte e fazendo o que amo?”

“Será que meu circulo de convivência realmente agrega no crescimento mútuo?”

Sei que se abrir para as mudanças pode ser incrivelmente difícil depois de alguns anos de acomodação, mas a vontade de evoluir e prosperar deve ser sempre mais alta.

Por que eu não consigo mudar?

O seu inconsciente é geralmente setado para as coisas que mais fizeram parte da sua vida. Se você sempre foi uma pessoa acomodada, onde sempre se contentou com o médio, seu cérebro estará acostumado a isso.

Procrastinação, desânimo, preguiça, falta de perspectivas… Essas são algumas das inúmeras coisas que um cérebro setado para o fracasso irá lhe mostrar.

Mas quem disse que isso não pode ser revertido? Com o poder de outro órgão poderosíssimo, o cérebro receberá novos estímulos capazes de resetar tudo.

Esse órgão é o coração. É dali que vem todas as suas paixões, artes, gostos e o mais profundo sentimento de gratidão.

Ele é capaz de te mostrar suas necessidades, tudo o que você precisa pra realmente conseguir atingir a mudança contínua.

Eu sempre indico a conversa consigo mesmo. Se olhar no espelho e se fazer perguntas são itens cruciais para seu desenvolvimento pessoal.

Pergunte-se mais, questione-se mais, mas não no sentido pejorativo, e sim no sentido de receptividade, de tentar entender por outros ângulos tudo que pode estar te atrapalhando a evoluir.

Entenda que não existe o certo ou errado, a carreira que seus pais querem que você siga, seus amigos ou seus filhos e esposo (a).

Quem sempre deve decidir o rumo das suas escolhas é você. Quem vai sentir o coração vibrar por algo que ama, será você e não outras pessoas. Seja seu foco, faça por você. 

“Uma pessoa que realmente gosta de você te apoia, mesmo se ela duvidar que vai dar certo.”

Falta de tempo ou prioridade?

É muito comum nos pegar dando desculpas de que “não temos tempo para nada”. Que o trânsito nos faz perder muitas horas, que o trabalho é distante, que temos afazeres demorados e etc.

Mas será que você realmente não tem tempo? 

Quando comecei a dizer pra mim que não tinha tempo e me via sentada no sofá enquanto a vida passava, comecei a me questionar. Eu tenho um hobbie muito prazeroso, mas que me tirava muito tempo.

Sempre gostei muito de games e chegou uma época da minha vida que eu passava horas e horas jogando online.

Quando percebi que perdia tempo demais fazendo aquilo, decidi calcular o número de horas que tinha jogado online naquele pequeno período de tempo.

O resultado foi assustador. Eu tinha jogado mais de 500 horas em um curto espaço de tempo. 

Então eu te pergunto: por que dizemos que não temos tempo, quando verdade aquela vontade simplesmente ainda não se tornou uma prioridade? 

A partir do momento que você tornar seus sonhos uma prioridade, você passará a ter tempo.

Vou lhe falar uma das coisas mais óbvias do mundo, mas que pode fazer todo sentido nesse momento:

Todo mundo tem 365 dias por ano. 24 horas por dia. 60 minutos por hora. Eu tenho e você também. 

Por que você acha que as pessoas de alta performance conseguem realizar mais em um curto espaço de tempo?

Por que elas tem prioridades. Elas não estão gastando energias com o superficial.

Eu tenho medo da mudança

Existe uma frase capaz de desmembrar todo esse medo.

“As pessoas tem medo da mudança. Eu tenho medo que as coisas não mudem.” – Chico Buarque.

Você faz ideia do poder que essas palavras têm? 

Imagine-se em um mundo onde não há pessoas evoluindo, coisas se modificando e acontecendo a todo momento.

Imaginou?

Provavelmente estaríamos na era “homem das cavernas”. Não haveria desenvolvimento, tecnologias, curas, lugares, músicas, artes e acontecimentos.

Será que o medo é a palavra certa?

“Eu digo que tenho medo da mudança, mas na verdade, só não quero incluir pessoas nessa grande bola de neve.”

O fato dos anos terem passado, de você ter se casado, ter tido filhos ou ter conseguido um emprego do qual não gosta, não quer dizer que não possa mudar ou que não consiga mudar.

A mudança é necessária em todos os estágios da vida.

Conclusão

A vida é uma completa metamorfose ambulante, como diz Raul Seixas.

Talvez o motivo de tudo isso, seja o fato de você continuar com as velhas opiniões sobre tudo.

Que tal se desafiar a novos caminhos e objetivos? Abrir a mente, respirar novos ares e deixar pra trás tudo que não te leva pra frente?

Não se esqueça que no final das contas, você não se arrependerá das coisas que fez e sim do que gostaria de ter feito e não tentou.



Espero que esse artigo tenha lhe ajudado! Comente aqui embaixo o que achou de tudo isso! Terei o prazer em responde-lo (a)!  🙂

 

Obs: Acabou de ser lançado o novo e-book do Mude pra Ontem! 🙂

40 Hacks Para Uma Produtividade Milagrosa e o download é gratuito! =]

 

Gostou deste artigo? Assine a lista VIP gratuita e receba mais conteúdos inspiradores!

 

21 primaveras completas. Empreendedora e blogueira apaixonada pelo mercado digital e a conexão entre pessoas online.

Criou conteúdos para sites, é amante de produção audiovisual, ingressou no e-commerce, social media e marketing digital.

Sua missão é inspirar pessoas a subirem para o próximo nível, mostrar que a revolução pessoal e digital está apenas no começo e que ainda há muito o que ser criado todos os dias.

“Daqui a um ano, você vai desejar ter começado hoje.” – Karen Lumb

Jessika Mendes

21 primaveras completas. Empreendedora e blogueira apaixonada pelo mercado digital e a conexão entre pessoas online. Criou conteúdos para sites, é amante de produção audiovisual, ingressou no e-commerce, social media e marketing digital. Sua missão é inspirar pessoas a subirem para o próximo nível, mostrar que a revolução pessoal e digital está apenas no começo e que ainda há muito o que ser criado todos os dias. "Daqui a um ano, você vai desejar ter começado hoje." - Karen Lumb